Novo Mercado Municipal de Viseu fica junto ao edifício da Segurança Social

Abril 17, 2021 | Economia

Porque “o que nasce torto dificilmente endireita”, o Município de Viseu acaba de apresentar o projecto do novo Mercado de Produtores. A nova infraestrutura vai ser construída bem perto do actual Mercado Municipal, ocupando mais de metade (1.300 metros quadrados) do espaço de estacionamento existente junto ao edifício da Segurança Social. A obra, no valor de 750 mil euros, vai permitir a instalação, nos próximos anos, de lojistas residentes e de produtores locais. E será dotada de espaços modernos e confortáveis, como zonas técnicas, zonas de arrumos e zonas de frio.

“Esta foi uma obra projectada ainda no primeiro mandato de Almeida Henriques. Representa, por isso, a concretização e o honrar de um compromisso, então assumido, no âmbito do programa «Viseu Faz Bem», fez questão de lembrar Conceição Azevedo, presidente da Câmara Municipal de Viseu.

A autarca promete, por isso, “dar todo o gás ao processo para que, muito brevemente, lojistas e produtores tenham condições de conforto e de segurança” numa estrutura com tudo o que é necessário para a actividade e para atrair mais pessoas. E que surge numa altura em que a economia está fortemente debilitada devido à pandemia”, sublinha Conceição Azevedo.

Quando o novo estiver concluído, num prazo previsto de 5 a 6 meses, o actual Mercado Municipal, na Rua 21 de agosto, entrará num processo de requalificação, integrado num plano de “revolução urbanística” de toda a área envolvente. “Estamos a preparar um novo pulmão na cidade que beneficiará todo o centro histórico”, adiantou o vice-presidente da Câmara Municipal de Viseu, João Paulo Gouveia, na apresentação do projecto do novo Mercado de Produtores.

“Apesar de todos os esforços feitos pelo Município no sentido de dinamizar o actual Mercado, nada resultou. “Fizemos tudo para que funcionasse. Desde campanhas, remodelações, até algumas acções que resultaram em parte, mas tudo isso não foi suficiente”, concluiu João Paulo Gouveia.

Quando estiver concluída a deslocalização de lojistas e produtores para o novo Mercado, “vamos requalificar tudo o que fica no Mercado actual, que jamais será o mesmo”, garante o autarca.

A nova infraestrutura, projectada para funcionar nos próximos 5 ou 6 anos, vai ficar dotada de 24 pontos de venda para lojistas e 80 pontos de venda para produtores directos. Beneficiará ainda de bons acessos, quer pedonais, quer para automóveis, zonas técnicas, de arrumos e de frio, e criará uma nova dinâmica, com todos os operadores no mesmo piso e com as mesmas condições. Com condições ainda para acolher a realização de eventos que possam atrair públicos.

Júlio Lopes, porta-voz dos produtores directos do mercado municipal, ficou satisfeito com o que ouviu e viu na apresentação do projecto do novo Mercado de Produtores. Mesmo assim não deixou de alertar para o facto desta nova estrutura reunir condições que garantam a a sua sustentabilidade, com clientes e produtores, ao longo das próximas décadas. “Tem que agarrar todas as gerações”,vaticinou o empresário, que propôs mesmo a criação de um parque infantil e a realização de actividades para adolescentes.