Imóveis transacionados no Centro Histórico de Viseu superaram os 4,4M€ em 2020

Abril 29, 2021 | Economia

Em 2020, o ano que marca o início da pandemia da COVID-19, o Município de Viseu aprovou 44 intenções de transação de imóveis no Centro Histórico, num valor que supera os 4,4 milhões de euros, correspondentes a uma área bruta de construção transacionada de 6 726,46 m2. Desde 2017, já foram investidos no Centro Histórico de Viseu mais de 27 milhões de euros, o que comprova a atratividade daquela zona da cidade.

No primeiro trimestre de 2021, fortemente marcado pelo confinamento, foram aprovadas 16 intenções de transação de imóveis, que representam um pouco mais de 2 milhões de euros, quase metade de todo o investimento realizado em 2020. “Naturalmente, não somos alheios a todo um ambiente criado pela pandemia. No entanto, os últimos resultados mostram que o nosso Centro Histórico mantém-se atrativo para os investidores, que continuam a acreditar na valorização desta zona da cidade”, afirma Fernando Marques, Vereador do Turismo, Património e Marketing Territorial da Câmara Municipal de Viseu.

Segundo a Autarquia, os resultados do 1.º trimestre de 2021 “revelam-se interessantes e poderão indiciar um período de retoma”. Com efeito, no total já foram submetidos e aprovados 10 pedidos de apoio, num valor global de 15 mil euros, durante os primeiros três meses do ano. A este propósito, importa salientar que, face às dificuldades geradas pela pandemia, a Câmara Municipal de Viseu aumentou o incentivo à recuperação de fachadas de 6 para 8 euros por metro quadrado, medida inscrita no VISEU INVESTE +.

“Não escondemos que, à semelhança do país e de todo o mundo, atravessamos um período de grandes dificuldades e que a redução da dinâmica económica afeta-nos a todos negativamente”, lembra Conceição Azevedo, Presidente da Câmara Municipal de Viseu.

No entanto, a autarca também mostra muita confiança no projeto definido por António Almeida Henriques: “O investimento realizado nos últimos anos no Centro Histórico de Viseu não tem comparação com outros momentos da vida da cidade. Mas esta tendência crescente não está confinada à estratégia que ali implementámos, mas a todo um pensamento da Cidade-Região, nas suas mais variadas dimensões, que resulta numa Viseu mais forte, mais atrativa e mais reconhecida. É esta Nova Cidade que queremos continuar a construir”, conclui Conceição Azevedo.