Viseu reforça estatuto de Destino Nacional da Gastronomia

Junho 18, 2019 | Sociedade

Durante dois dias Viseu assumiu-se como a capital da gastronomia em Portugal, e reforçou o estatuto de «Destino Nacional da Gastronomia» em 2019. Com epicentro no Solar do Vinho do Dão, as várias actividades e cerimónias que assinalaram a quarta edição do Dia Nacional da Gastronomia, atraíram à cidade mais de 10 mil visitantes.

Organizado pela Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, em parceria com a Edições do Gosto, o evento mostrou o melhor de Portugal à mesa, reunindo na cidade que este ano é também consagrada como Destino Nacional de Gastronomia, chefs e profissionais da restauração e hotelaria, com mais de 50 confrarias gastronómicas nacionais representadas. Todas elas recebidas pelo presidente da Câmara Municipal na «sala de visitas» da cidade, o Rossio. Uma presença que o presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques, agradeceu com “um bem-haja à boa maneira beirã”.

“O trabalho que fazem é de autênticos embaixadores”, enalteceu o autarca que, na pessoa do almoxarife da Confraria de Saberes e Sabores da Beira, José Ernesto, saudou o dinamismo das confrarias da região. E as de todo o país, na pessoa de Olga Cavaleiro, presidente da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas.

Almeida Henriques reconheceu o “privilégio” e o significado para Viseu, em acolher o Dia Nacional da Gastronomia. Sobretudo numa altura em que o Município está a dar cumprimento a um plano de acção com 30 medidas, entre elas a criação de uma Carta Gastronómica.

“Depois da Europeade, em 2018, estamos também a fazer um trabalho sustentado em torno da Gastronomia”, confirmou o autarca. Que sublinhou o trabalho que está a ser desenvolvido em ordem à certificação de diversos produtos endógenos do concelho, entre eles a broa de Vildemoinhos, os Viriatos, o Rancho à Moda de Viseu, entre outros. Um trabalho já visível com a primeira, esta dedicada à broa trambela, de uma série de publicações, de autoria de Alberto Correia, que propõem uma viagem pelos sabores tradicionais de Viseu, que passam também pela doçaria e até por figuras emblemáticas como foi Dom Zeferino.

“Estamos aqui todos, em Viseu, com a convicção de que a gastronomia portuguesa se faz de contrastes, de produtos e receituários muito diversos, que fazem com que este país seja tão rico. Somos verdadeiramente felizes quando experimentamos aquilo que desconhecemos”, reconheceu Olga Cavaleiro, numa cerimónia marcada, no Solar do Vinho do Dão, pela entrega das distinções «Optimus Conviva» a várias instituições e personalidades. Entre elas a do presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques.

Pedro Machado, presidente da Turismo do Centro, saudou o trabalho das confrarias na preservação daquele que considerou como “um dos nossos produtos «prémium» do território nascional: a gastronomia. Cuja autenticidade, a par da aposta na formação e inovação, tem que ser mantida. “Temos muitos recursos, mas há dois que são essenciais: a nossa hospitalidade e a nossa gastronomia”. Dois factores que, em seu entender, contribuem para que, pelo quinto ano consecutivo, Portugal tenha recebido o prémio de melhor destino europeu.

O programa do Dia Nacional da Gastronomia contou ainda com uma vertente solidária. Neste caso, um jantar confecionado por Chefs, produtores e Confrades, cujo lucro reverteu para a APPDA de Viseu. E também com alguns momentos institucionais, nomeadamente a cerimónia de lançamento de um selo e um postal dos CTT, ambos alusivos à efeméride.