Viseu curva-se à perda do Bispo D. Ilídio Leandro

Fevereiro 29, 2020 | Sociedade

Ilídio Leandro “foi um extraordinário testemunho de fé e de serviço à Igreja e à comunidade (…). Uma exemplar trajectória de vida e acção pastoral”. Foi desta forma que Marcelo Rebelo de Sousa, numa mensagem publicada no site da Presidência da República, expressou os seus sentimentos pela morte do Bispo Emérito de Viseu, dirigidos à sua família e a toda a Diocese.

Centenas de pessoas participaram nas cerimónias fúnebres de Ilídio Leandro, realizadas no último domingo na Sé Catedral de Viseu. Na respectiva homilia, o actual Prelado, António Luciano recordou o seu antecessor como “um exemplo e incentivo para todos nós, para sermos melhores e mais cristãos”. E sublinhou o perfil “simples, humilde, acolhedor, competente, disponível, com grande sensibilidade humana e cristã, atento aos pormenores mais pequeninos da vida das pessoas” do Bispo Emérito.

Na mesma homilia, o Prelado apelou à união da Diocese no sentido de prosseguir o legado espiritual e pastoral de D. Ilídio Leandro. “Faço um apelo a toda a igreja diocesana, a todas as pessoas de boa vontade, ao clero, aos diáconos, ao consagrados e aos leigos, para todos nos unirmos e continuarmos o legado espiritual e pastoral que o senhor D. Ilídio iniciou e onde tanto trabalhou”, disse D. António Luciano à Agência Ecclesia.

Na última sexta feira, 21 de Fevereiro, a Diocese de Viseu foi surpreendida com a notícia da morte de D. Ilídio Pinto Leandro no Hospital de São Teotónio “após agravamento da sua saúde”, revela em nota informativa. No âmbito das cerimónias fúnebres, o corpo do antigo Bispo, de 69 anos, seguiu para a terra natal, em Rio de Mel, Pindelo dos Milagres, no concelho de São Pedro do Sul, onde foi sepultado.

Ilídio Leandro nasceu a 14 de Dezembro de 1950. Foi ordenado presbítero a 25 de Dezembro de 1973 e Bispo no dia 23 de Julho de 2006. Orientou a Diocese de Viseu até ao dia 03 de Maio de 2018, resignando por razões de saúde. O seu lema episcopal, que se recorda, foi: “Convosco, Por Cristo, Para Todos”. O Papa Bento XVI nomeou-o Bispo de Viseu a 10 de Junho de 2006 e a ordenação episcopal decorreu a 23 de Julho do mesmo ano, sucedendo a D. António Marto, actual Bispo de Leiria-Fátima.

Com a bandeira do Município a meia haste, durante três dias, a Câmara Municipal de Viseu manifestou o seu “profundo pesar pelo falecimento de Dom Ilídio Leandro, Bispo Emérito da Diocese de Viseu, que por muitos anos serviu com espírito de abnegação e amor ao próximo a comunidade viseense”.

Na mesma nota, o Município sublinha a “profunda renovação” que D. Ilídio Leandro “empreendeu na Diocese de Viseu e as qualidades pastorais e humanas reveladas na relação com as populações e as mais diversas instituições da cidade e região são marcas indeléveis do seu percurso, que todos reconhecem”.

Concretizando o desejo partilhado pela comunidade de Viseu, o Município atribuiu a Ilídio Leandro a mais elevada e rara distinção municipal: o Viriato de Ouro, a 21 de Setembro de 2018.

Fátima Eusébio, responsável pelo Departamento Diocesano dos Bens Culturais, admite o “enorme vazio” que fica pela partida de um amigo, que soube deixar uma marca de proximidade.

Em comunicado, a Conferência Episcopal Portuguesa manifestou o seu “sentido pesar pela morte de D. Ilídio Leandro, recordando a sua dedicação a esta comunidade católica, ao longo do seu ministério sacerdotal e episcopal”.