Protestos valeram novo médico em extensão de saúde de Viseu

Outubro 31, 2012 | Sociedade

Os protestos das populações de Lordosa e Calde, que reclamavam a colocação de mais um médico na Extensão de Saúde que serve as duas freguesias, no concelho de Viseu, culminaram, anteontem, numa altura em que se cerca de 40 utentes se manifestavam junto à sede do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Dão Lafões 1, com o anúncio de que até ao dia 8 de Novembro aqueles serviços ficarão a contar com um novo clínico.

Patrocinados pela Comissão de Utentes, os protestos acentuaram-se após a saída de dois médicos da Extensão de Lordosa, em Viseu, (de três passou a ter um), o que deixou um número considerável de pessoas sem médico de família, e a única médica que ficou não conseguia responder a todas as situações, limitando-se a atender os utentes da sua lista. Dezenas de pessoas não conseguiram a marcação de consultas, mesmo estando em graves condições de saúde.

Na tentativa de conseguirem uma consulta, havia pessoas que se dirigiam à Extensão de Saúde de Lordosa a partir da 1 hora da madrugada, chegando a esperar no local entre 5 a 10 horas. E quando tinham a sorte de ser atendidas ouviam muitas vezes, a “frustrante” resposta dos serviços: ”não há vaga” ou “não há médico” ou ainda, “volte cá outro dia”, denunciava a Comissão de Utentes dos Serviços Públicos de Saúde daquelas duas freguesias, liderada por Ilídio Martins.

Mesmo em situações de extrema e óbvia necessidade os utentes eram encaminhados para o Hospital, sem consulta, onde o sistema de urgências, em consequência desta desarticulação geral do Serviço Nacional de Saúde, “rebenta pelas costuras”, obrigando muitas vezes as pessoas a recorrer a serviços privados com enormes custos para os cada vez mais magros orçamentos familiares.

A Extensão de Saúde de Lordosa serve uma população residente, e significativamente envelhecida, de 4.000 habitantes, distribuída pelas freguesias de Calde e de Lordosa.

A Comissão de Utentes da Extensão de Saúde Lordosa entregou na última terça-feira, na ACES Dão Lafões I, um abaixo-assinado com 1.500 assinaturas a reivindicar a colocação de mais três médicos naqueles serviços. Uma pretensão que acabou por ser parcialmente atendida, passando o novo médico a deslocar-se a Lordosa dois dias por semana, ficando a médica, actualmente ao serviço, a atender a tempo inteiro. “Um remedeio”, conclui a Comissão de Utentes, que dá o “benefício da dúvida” em relação à prometida avaliação da sua situação até ao final do ano.