Memorial dos incêndios em Tondela assenta no projecto «Raízes»

Julho 17, 2019 | Sociedade

O projeto »Raízes» foi o grande vencedor do Concurso de Ideias para o Memorial dos incêndios de 15 de outubro de 2017, que o Município de Tondela lançou em outubro do ano passado, com o intuito de “instalar um marco simbólico que ilustra como a população reagiu aos fogos”. Durante a cerimónia de apresentação dos projetos e anúncio do vencedor, o presidente da Câmara Municipal de Tondela, José António Jesus, explicou que, com este memorial, se pretende criar um espaço de fruição pública, onde as pessoas possam ter uma visão introspectiva, mas acima de tudo regeneradora.

“Também colocámos como condição que os projetos pudessem ser exequíveis e os candidatos, para além de conceberem, orçamentassem os seus projetos”, acrescentou.
O projeto “Raízes” é da autoria de Juana María Bravo e de Paulo Viel, tendo por objetivo “criar um espaço comunal de contemplação através do uso de símbolos sobre a renovação da vida, os ciclos da natureza e a superação da adversidade”. Irá nascer em forma de círculo, com um sobreiro no meio, criando ali um espaço de fruição e tertúlia para a população, onde se contemple a paisagem envolvente. Não há uma data determinada para a conclusão da obra, que irá nascer na segunda fase do Parque Urbano de Tondela, embora José António Jesus gostasse que ficasse concluída ainda durante o ano de 2019.

“Vai ser um memorial, no entanto, está também, de alguma forma, assente numa perspetiva de futuro, em vez de acentuar exclusivamente um momento particular do passado”, justificou o vereador da Câmara Municipal Tondela, Miguel Torres.

Na segunda posição ficou o projeto “Vácuo” e receberam ainda menções honrosas os projetos: “ZigueZague”, “Renovo” e “Era uma árvore – silêncios da espera”.
Este concurso de Ideias foi promovido pelo Município de Tondela, em parceria com a Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP), visando a apresentação e desenvolvimento de propostas escultóricas e/ou arquitetónicas, que proponham diferentes relações entre os seus residentes, com os visitantes e com a paisagem, assente numa perspetiva de futuro, em vez de acentuar exclusivamente um momento particular do passado.

Concorreram projetos em equipa, sendo estas multidisciplinares. Foram privilegiadas as propostas mais originais e com clareza visual.