Câmara de Viseu adianta subsídio de 55 mil euros aos Voluntários

Abril 29, 2019 | Sociedade

O Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques, esteve no quartel dos Bombeiros Voluntários de Viseu, em Rio de Loba, para cumprir “um ato simbólico”: entregar o cheque relativo ao subsídio à atividade da corporação para 2019, no valor de 55 mil euros. O cheque entregue à corporação visa já o pagamento integral do subsídio previsto para 2019. Uma novidade face a anos anteriores, no qual o apoio do Município era entregue em dois momentos distintos.

A entrega total do subsídio aconteceu numa altura em que os Voluntários reclamavam do Estado pagamentos em atraso, originando uma “situação complicada” que chegava a colocar em causa o pagamento de dívidas a fornecedores

“Infelizmente, já no ano passado, fizemos esta antecipação por razões idênticas. Estamos a fazer o mesmo este ano, porque esta Instituição é muito importante para toda a lógica da Protecção Civil do concelho”, justificou o presidente da Câmara Municipal de Viseu

Almeida Henriques destacou “o carinho” que o Município tem pelos Bombeiros Voluntários de Viseu e apelou à mobilização de todas as instituições e partidos políticas na defesa pelo pagamento das dívidas do Estado Central à Associação Humanitária.

O autarca diz que “não se pode pedir às mulheres e homens que vão para o terreno que tenham estabilidade, se não sabem se vão receber o vencimento ao final do mês para honrar os seus compromissos”. E lembrou que o incumprimento do Estado Central deveria ser censurado por todos, pois “os bombeiros não estão a pedir nada que não lhes seja devido, pois já fizeram o serviço”.

“Deveria existir um pacto para que o pagamento às corporações fosse feito a 30 dias. Vale mais a estabilidade que os discursos que se fazem no dia-a-dia nas televisões”, acrescentou.

Almeida Henriques adiantou aos jornalistas que o apoio anual global do Município à Associação Humanitária já é superior a 125 mil euros, pois compreende ainda a isenção de taxas, a receita do dia solidário na Feira de São Mateus e o pagamento da Equipa de Intervenção Permanente da corporação.