Ampliação da Urgência do Hospital será desbloqueada antes do verão

Maio 8, 2019 | Sociedade

Em reunião que manteve com a ministra da Saúde, o presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, obteve da titular da pasta a garantia de que a obra de ampliação das Urgências do Hospital “estará desbloqueada antes do verão”. Em cima da mesa esteve também o projeto de instalação do Centro Oncológico.

Estimado em 5,6 milhões de euros, o projecto de ampliação da Urgência preconiza  a construção de uma nova entrada no serviço e a remodelação e ampliação do actual espaço. Em simultâneo, será construído um novo bloco com três pisos. O primeiro destinado aos profissionais do hospital (balneários, vestiários e zona de descanso) e a equipamentos diversos. O segundo acolherá serviços de saúde, e o terceiro piso ficará ao dispor dos serviços da Viatura de Emergência Médica (VMER).

Doze postos para a monitorização contínua de doentes, dois quartos de isolamento, salas para doentes que pertencem ao ambulatório e vários gabinetes que passarão a estar disponíveis para atendimento clínico, completam o projecto.

Na reunião, em que participaram também o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde e a Presidente da Administração Regional de Saúde do Centro (ARS Centro), Almeida Henriques manifestou-se preocupado com os avanços e recuos em projetos de “premente necessidade para a cidade-região”.

Sobre a ampliação do serviço de Urgências do Hospital de São Teotónio, o processo estará em vias de ser desbloqueado, de acordo com Marta Temido, na sequência de uma resolução do Conselho de Ministros que enquadra uma solução para se avançar com o projeto.

“A Ministra da Saúde mostrou-se convicta de que o assunto estará resolvido antes do Verão, depois de uma resolução do Conselho de Ministros que enquadra a solução, designadamente a contrapartida nacional e o modelo para o desenvolver”, explicou Almeida Henriques, lembrando da necessidade de dar uma “resposta efetiva ao crescimento tão significativo do número de utentes que acedem às Urgências do Hospital de Viseu e, ao mesmo tempo, impedir a deterioração de um serviço com trajeto de excelência”.

A Ministra da Saúde garantiu ainda que o dinheiro dos fundos comunitários que a própria região disponibilizou, “não será perdido”.

Já quanto ao projeto de instalação do Centro Oncológico em Viseu, o Presidente da Câmara Municipal de Viseu ouviu da parte dos responsáveis do Ministério da Saúde que “o layout da obra está a ser ultimado” pela Administração do Centro Hospitalar Tondela-Viseu, e que esta se terá comprometido a apresentar o projeto até 16 de maio.

A Ministra da Saúde adiantou, todavia, que a construção do Centro Oncológico em Viseu passará por uma “solução em três fases”, começando pela instalação de uma Unidade de Radioterapia.

“Trata-se de um importante serviço de saúde para uma região com cerca de meio milhão de habitantes. A sua construção irá melhorar significativamente o acesso de centenas de doentes oncológicos por ano a estes cuidados de saúde, assim como a sua qualidade de vida e bem-estar físico e psicológico, evitando deslocações longas e penosas”, recordou Almeida Henriques.

Na reunião, que se prolongou por cerca de hora e meia, o Presidente da Câmara Municipal de Viseu congratulou-se com a “estreita colaboração” do Município com a ARS Centro e o Ministério da Saúde no projeto de instalação de uma Unidade de Saúde Familiar na Casa das Bocas -, edifício emblemático e uma âncora do Centro Histórico de Viseu -, cujo contrato está fechado, esperando-se, assim, que o cronograma da obra seja cumprido.