Socialistas de Viseu questionam desactivação das ambulância do INEM em Mortágua e Vouzela

Julho 2, 2012 | Região

Os deputados de Viseu do Partido Socialista (PS) querem saber, junto do Ministério da Saúde, se está ou não confirmada, de acordo com notícias veiculadas na comunicação social, a desactivação, a curto prazo, das ambulâncias INEM, suporte básico de vida, de Mortágua e de Vouzela. E, em caso afirmativo, se as autoridades locais, nomeadamente as municipais, de saúde e de protecção e socorro, foram ouvidas no processo.

Em requerimento que subscreveram na Assembleia da República, Acácio Pinto, José Junqueiro e Elza Pais, lembram que a localização das ambulâncias naqueles concelhos “foi considerada a mais adequada”, em resultado de uma avaliação feita pelas entidades públicas de saúde em interacção com os autarcas e diversos agentes de protecção e socorro, pela rapidez de resposta.

“A diferença entre viver e morrer depende, em muitos casos, de uma rápida e eficaz assistência às vítimas com meios humanos e técnicos qualificados” sublinham os deputados socialistas, para quem os concelhos em causa “são do interior, com acessibilidades difíceis e em territórios morfologicamente muito acidentados.

No mesmo documento, os subscritores argumentam ainda que os centros de saúde de Mortágua e Vouzela não prestam serviço de atendimento permanente (vulgo urgências) durante o período nocturno, e cujas populações, com uma estrutura etária muito idosa,”são mais vulneráveis a problemas de saúde que carecem de uma rápida resposta”.

A confirmar-se a desactivação das ambulâncias INEM em Mortágua e Vouzela, os mesmos deputados querem saber também como vai o Ministério da Saúde prestar apoio às populações abrangidas por estes dois meios de suporte básico de vida, e se existe algum estudo que preveja, nestas condições, a manutenção dos tempos de chegada dos meios de suporte básico de vida às pessoas que deles venham a necessitar.