Cobertura do Marcado 2 de Maio arranca este mês em Viseu

Janeiro 19, 2021 | Região

Com um prazo de execução de cerca de dois anos, arrancam já este mês de janeiro as obras de instalação da cobertura do Mercado 2 de Maio, na Rua Formosa, em pleno centro histórico de Viseu. A intervenção, que culmina um processo iniciado há cerca de sete anos, representa um investimento que ronda os 4,3 milhões de euros. E inclui, ainda, a requalificação de todas as fracções do edifício envolvente da praça, interiores e exteriores, a reabilitação de todas as lojas, e a instalação de um sistema de climatização, entre outras melhorias.

Cumpridos que estão todos os requisitos legalmente impostos, incluindo o visto do Tribunal de Contas, a empreitada, adjudicada à empresa viseense Embeiral, é financiada por fundos comunitários.

O projeto de cobertura integral da mais carismática praça de Viseu apresenta uma inovadora solução de produção e aproveitamento de energia elétrica que, além de permitir uma maior eficiência térmica do espaço, representa de imediato uma clara mais-valia ambiental, energética e financeira, não apenas para o projeto em causa, como também para os edifícios vizinhos de propriedade municipal – futura sede das Águas de Viseu e Paços do Concelho.

A cobertura irá funcionar como um grande painel, com cerca de 4.300 metros quadrados, estimando-se que, por força da energia produzida, o investimento tenha um retorno de cerca de 10 anos.

“Esta não é uma obra qualquer. Vai transformar o local na praça mais central de todo este centro comercial de ar livre que é o centro histórico, criando condições para que ela possa ser usadas nos 12 meses do ano. Portanto, com a sua cobertura e as valências que vai ter, o Mercado 2 de Maio deixará de ser um ‘cemitério’, como alguns comerciantes o chamam, porque não tem pessoas excepto quando decorrem eventos”, fez questão de sublinhar o presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, na cerimónia de consignação da obra, realizada no Solar dos Peixotos.

Nas duas palas da cobertura serão instalados painéis fotovoltaicos para produção de energia eléctrica. Para Almeida Henriques, “é a primeira vez que este sistema é instalado em Portugal numa obra deste género, o que, por si, representa um factor diferenciador”.

“Poderíamos ter optado por uma cobertura simples, mas, com as preocupações energéticas que temos, não podíamos deixar de pensar numa solução que fosse efetivamente amiga do ambiente”, conclui o autarca.

A intervenção vai preservar as árvores existentes, estando ainda projectada a construção de um pequeno lago e a requalificação das lojas. Até à conclusão dos trabalhos, os lojistas vão ficar no centro histórico.

Na plataforma superior do Mercado 2 de Maio manter-se-á um palco de apoio a concertos e outros espectáculos, enquanto no piso intermédio funcionará uma zona de restauração. Na plataforma inferior, para além do carácter multifuncional e comercial, está também previsto o equipamento adequado à realização de espectáculos.