Centro Hospitalar Tondela Viseu lidera em três especialidades

Dezembro 28, 2012 | Região

Um estudo elaborado pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), sustentado em dados de 2011, coloca este ano o Centro Hospitalar Tondela–Viseu (CHTV)  na quarta posição do ranking nacional. Apesar de ter descido dois lugares na tabela dos 10 melhores em relação ao ano passado, a unidade continua, apesar de tudo, a liderar no país, ao nível do tratamento de doenças neurológicas, musculo-esqueléticas, e traumatismos e doenças acidentais.

Numa lista que continua, pelo terceiro ano consecutivo, a ser liderada pelo Hospital de S. João (Porto), seguido pelo Centro Hospitalar Universitário de Coimbra e Centro Hospitalar Lisboa Norte, o CHTV continua a surgir também como o melhor do interior do país, posicionando-se ainda nos cinco primeiros lugares no tratamento de sete dos 17 grupos de doenças analisadas, entre as quais as dos foros digestivo, pediátricas, endócrinas, e metabólicas e respiratórias.

Contactada pelo «VR», a administração do CHTV, liderada por Ermida Rebelo, não tece comentários à posição obtida por esta unidade de saúde, preferindo apenas “congratular-se com uma classificação que já é habitual” neste Hospital (em 2011 obteve o segundo, e em 2009 e 2010 o quarto lugar), o que constitui, para o mesmo responsável “motivo de orgulho e satisfação para todos os profissionais, e também uma prova de qualidade para os utentes”.

No estudo elaborado, desde há sete anos, pela ENSP, nos últimos cinco mantêm-se no topo os primeiros quatro hospitais, apesar de algumas trocas de lugares, embora o CHTV continue a ser o primeiro, pelo terceiro ano consecutivo, no tratamento de doenças musculo-esqueléticas, traumatismos e lesões acidentais e, pela primeira vez, no tratamento de doenças neurológicas.

Neste último ranking, o hospital de Viseu, que surge já como Centro Hospitalar Tondela-Viseu devido à recente fusão com o hospital Cândido de Figueiredo de Tondela, conseguiu ainda obter o segundo melhor resultado no critério da mortalidade. Com 646 camas disponíveis, tem ao seu serviço mais de mil profissionais, entre médicos e enfermeiros.