Câmara de Tondela aprova protocolos que ultrapassam os 700 mil euros

Março 11, 2021 | Região

A Câmara Municipal de Tondela aprovou vários protocolos de apoio a juntas e uniões de freguesia e movimento associativo do concelho, num montante que ultrapassa os 700 mil euros. Estes protocolos foram aprovados na reunião do executivo que decorreu em formato digital.

Os protocolos com algumas Juntas e Uniões de Freguesia do concelho ultrapassam o meio milhão de euros, cabendo a maior fatia à União de Freguesias de Mouraz e Vila Nova da Rainha, que vai receber um apoio de 218 mil euros para a execução do edifício multiusos a construir em Vila Nova da Rainha.

Este apoio visa repor as condições para o desenvolvimento associativo nesta União de Freguesias, um compromisso que tinha sido assumido após a tragédia de há três anos na Associação de Vila Nova da Rainha, onde um incêndio destruiu o seu edifício. Também a Associação da Gândara, na mesma União de Freguesias, tinha ficado sem instalações, após incêndios de outubro de 2017. Este protocolo vem dar corpo à vontade da população de reerguer o movimento associativo nesta localidade.

Destaque ainda para o protocolo de 114 mil euros com a União de Freguesias de S. Miguel do Outeiro e Sabugosa, que visa a requalificação do cais de Sabugosa, a primeira fase do Largo do Calvário em S. Miguel do Outeiro e a requalificação do Parque de Lazer do Fial; bem como o protocolo com a Junta de Freguesia de Molelos, com um apoio no valor de 80 mil euros para o alargamento do cemitério.

No que toca o movimento associativo, realça-se o protocolo com a ACERT, no valor de 90 mil euros, que serve para apoiar atividades relacionadas com a criação e a programação regular. Foram ainda apoiadas cinco IPSS do concelho, na aquisição de carrinhas para servir o apoio domiciliário, num valor que ultrapassa os 50 mil euros.

Será atribuído um apoio de 50% do valor de cada carrinha à Associação de Solidariedade Social Recreio do Caramulo, Associação de Solidariedade Social Cultural Desportiva do Caselho, Associação de Solidariedade Social Recreativa Desportiva de S. Miguel do Outeiro, Associação Social do Tourigo e Centro Social Paroquial Irmãos Brás de Vilar de Besteiros. Procura-se, assim, minimizar as dificuldades financeiras das IPSS do concelho de Tondela, causadas, entre outros motivos, pela não atualização de acordos com a Segurança Social.

Durante a reunião, os membros da Câmara com funções executivas, aludiram ainda à declaração de voto dos vereadores do PS, feita na reunião extraordinária do passado dia 03 de março, acerca da proposta de alteração do regulamento de benefícios fiscais e do investimento do Município de Tondela, bem como da abertura de procedimento de hasta pública para alienação e um prédio urbano.

Esclareceram que a alteração a este regulamento serviu para “balizar e clarificar sobre a forma de materializar eventuais apoios” e, em relação à hasta pública, não compreendem como é que “a oposição pretende que uma zona como preferência para atividades económicas compatíveis com fins residenciais seja ocupada tão só com habitação”.

“De um modo genérico, refuta-se a ideia de que as informações que são veiculadas na reunião de Câmara não tenham aí o devido tratamento e, posteriormente, o PS as use de modo distorcido sob a forma de declarações de voto, traduzindo-se tal ato em falta de seriedade no que respeita à informação transmitida. Em reunião de câmara as explicações são dadas sempre com elevação, ética e pedagogia, apesar de distorcidas após esse momento”, concluíram os membros da Câmara com funções executivas.