Município de Viseu investe 1,2 milhões na Escola da Ribeira

Fevereiro 29, 2020 | Educação

O Executivo Municipal aprovou a proposta de lançamento de concurso público para uma nova fase da reabilitação da Escola da Ribeira. O investimento é superior a 1,2 milhões de euros e o prazo de execução de 224 dias. A última fase da intervenção vai incluir a construção de sala de refeições, biblioteca e uma nova rede de aquecimento. O Investimento global ascenderá a mais de 1,6 milhões de euros.

Do projeto de execução final consta a requalificação das instalações sanitárias em geral, a construção de 1 sala de refeições com as dimensões adequadas ao número de utentes, a construção de uma biblioteca e de um alpendre, a requalificação geral da rede elétrica e de telecomunicações, pintura geral interior, execução da rede de gás natural e de uma nova rede de aquecimento, instalação de unidade de produção para autoconsumo, conclusão dos arranjos exteriores e construção de parque infantil.

“O avançado estado de degradação em que se encontrava o estabelecimento de ensino levou-nos a optar por uma intervenção faseada, que entra agora na derradeira etapa”, explica o Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques. Na primeira intervenção, em 2014, retirou-se a cobertura existente em fibrocimento e colocou-se uma nova com isolamento térmico.

No ano seguinte, decorreu uma intervenção ao nível do melhoramento das condições térmicas do edifício, com a aplicação de caixilharias com corte térmico e aplicação de isolamento no exterior (“capoto”) das paredes dos alçados nascente, poente e sul. As salas de aula também foram pintadas.

Em 2016, além das condições térmicas do edifício, melhoraram-se as condições de segurança contra incêndios, com a criação de caminhos de evacuação. Foram ainda feitos arranjos exteriores, com pavimentações, ajardinamentos, melhoramento do campo desportivo, colocação de bancos e papeleiras.

“Desde 2014, já reabilitámos 31 estabelecimentos de ensino”. A par disso, “construímos a Escola Básica Aquilino Ribeiro, cujo investimento ascendeu a 2 milhões de euros e fomos mesmo além das nossas competências ao recuperarmos as escolas Viriato e Grão Vasco, num valor superior a 1,5 milhões de euros”, recorda Almeida Henriques.