Investigação do IPV potencia aproveitamento de zângãos para uso alimentar

Novembro 12, 2019 | Educação

Uma equipa de estudantes e docentes do Politécnico de Viseu e da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro desenvolveu um projeto de investigação – “zDrone Flour” – que visa contribuir para a diminuição dos prejuízos provocados pelo ácaro Varroa destructor e pelo uso de medicamentos veterinários, através da técnica de remoção de quadros de zângãos, e proceder ao aproveitamento e valorização destes insetos para uso alimentar.

Desta forma, é possível aumentar o rendimento da atividade apícola e proporcionar no futuro um conjunto de novos produtos à base de farinha de zângão rica em proteína animal.

A equipa do projeto, constituída por três estudantes da Escola Superior Agrária (ESAV) do Politécnico de Viseu – Ana Rodrigues, Mariana Rosário e Manuela Costa – e um da Escola de Ciências Agrárias e Veterinárias da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro – Sebastião Machado – e pelas docentes da ESAV, Paula Correia e Cristina Amaro da Costa, apresentou na audição final alguns dos produtos em estudo à base de farinha de zângão.

Com o projeto “zDrone Flour”, tivemos a oportunidade de apresentar com sucesso um projeto multidisciplinar e multi-institucional, que propõe uma dupla solução em benefício dos apicultores: combater uma doença grave das abelhas, remunerar os apicultores através da adoção desta medida e valorizar um novo produto da colmeia”, reconhece a equipa investigadora.

A proposta “zDrone Flour” conquistou recentemente o 2.º prémio do “Concurso Universitário & Politécnico CAP – Cultiva o teu futuro”, edição de 2019, dedicada à inovação em apicultura. A iniciativa que a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) promove, pelo oitavo ano consecutivo, procura desafiar os estudantes do ensino superior a proporem projetos inovadores relacionados com a atividade agrícola.