A vitalidade dos 40 anos no Politécnico de Viseu

Fevereiro 18, 2020 | Educação

Em 26 de dezembro de 1979, foi definida a rede de estabelecimentos do ensino superior politécnico em Portugal, tendo sido nessa data determinada a criação do Politécnico de Viseu (PV) (Decreto-Lei n.º 513-T/79, de 26 de dezembro). É neste contexto que está a comemorar os 40 anos do ensino superior politécnico em Viseu, com a data de 26 de março de 1983 a marcar a inauguração e início oficial de atividade da Escola Superior de Educação de Viseu, a primeira do país a entrar em funcionamento.

Com estas comemorações “pretende-se reforçar as relações do PV com o território e a comunidade, bem como afirmar o ensino superior politécnico como motor de desenvolvimento através da ciência, tecnologia e cultura”, sublinha o presidente do PV, João Monney Paiva.

A organização das comemorações está a cargo de um grupo diversificado de docentes, não docentes e estudantes do Politécnico, com a coordenação de Joaquim Alexandre Rodrigues. Para além das várias unidades orgânicas e serviços do PV, um vasto conjunto de parceiros estão a contribuir com iniciativas a realizar no âmbito dos 40 ANOS PV, que vão “ligar a atual comunidade escolar com as anteriores gerações e a comunidade em geral”.

Ao todo, são mais de meia centena de eventos que vão decorrer até ao próximo mês de Junho, a envolverem as várias unidades orgânicas e os serviços do IPV, desde concertos, espetáculos de dança, workshops, congressos, exposições , cinema, oficinas, e visitas guiadas.  A que se junta o grupo de teatro do IPV, “Teatro da Academia”, que vai estrear uma nova peça.

“Vamos aproveitar esta data para repensar o ensino superior, em particular o ensino superior no interior e o ensino superior politécnico”, sublinha o presidente do IPV, para quem a instituição que dirge tem-se afirmado à custa daquilo que tem sido um processo de comunicação, de participação e de envolvimento dos parceiros na região.

João Monney Paiva não tem dúvidas que “se há ensino superior que não está destinado às elites, se há ensino superior que tem que ter uma capacidade reforçada para fixar pessoas e criar uma sociedade mais equilibrada e mais equitativa é o ensino superior politécnico no interior do país”, conclui.

Ponto alto das comemorações, será a Gala, a 19 de Junho, que irá reunir, em parceria com o Teatro Viriato, todos os antigos estudantes e funcionários do Politécnico, durante a qual será apresentada formalmente a Casa de Pessoal, da Associação Alumni, e entregues medalhas de reconhecimento a antigos alunos e funcionários, seguindo-se uma “Bodega Party” no Campus Politécnico.

Em agenda a com a Instituição focada no futuro, o presidente do PV destaca também a realização de uma conferência internacional, que poderá ser o ponto de partida para a integração do estabelecimento de ensino superior na rede de Universidades Europeias. “È uma ambição que temos, uma vez que essa integração permitirá a um estudante do Politécnico de Viseu ir fazer um semestre a qualquer uma das universidades sem qualquer impedimento, sem qualquer obstáculo”, explicou.

Para além de Viseu, o programa das atividades comemorativas dos 40 anos do PV, estende-se a Lamego, cidade que acolhe a Escola Superior de Tecnologia e Gestão, sob a tutela do IPV. Para o Presidente da Câmara Municipal, Ângelo Moura, “é perceptível para qualquer cidadão o contributo destas instituições para o desenvolvimento de Lamego. A Escola Superior tem desempenhado cabalmente o seu papel e vai continuar a fazê-lo. Assim se deseja”, destacou.

Um concerto com a Orquestra Gulbenkian, na Sé de Viseu, a 27 de Junho, encerra as comemorações.