40 anos, 40 árvores no campus do Politécnico de Viseu

Novembro 2, 2020 | Educação

A plantação de 40 anos no campus do Politécnico de Viseu (PV), no âmbito das comemorações dos 40 anos da instituição, a que se associou, com esta ação, a Escola Superior Agrária, marcou a iniciativa «GREEN WEEK» 2020. Promovido pelo segundo ano consecutivo pelo Departamento de Ambiente da Escola Superior de Gestão, o evento teve como tema central a «Natureza e a Biodiversidade», com as várias ações programadas a prosseguirem “o esforço de sensibilização e mobilização da comunidade académica e da população em geral para o contributo que a biodiversidade pode dar à sociedade e à economia, bem como o papel que pode desempenhar no apoio e na promoção da recuperação num mundo pós-pandémico, criando emprego e crescimento sustentável”.

“Estamos numa deriva que é necessário requacionar. E, à nossa escala, a plantação destas 40 árvores, é um sinal que estamos a dar de que a natureza tem que ser cuidada e valorizada. Numa altura em que a agricultura sustentável tem um papel fundamental para reduzir a fome no mundo, a nossa esperança reside nas gerações futuras”, reconheceu o presidente do PV, João Monney Paiva, na sessão de abertura da GREEN WEEK 2020.

Para além da plantação das 40 árvores, e no mesmo dia em que se discutiam a nível europeu as questões ligadas à sustentabilidade ambiental, foi também hasteada no PV, a par de outras acções, a bandeira Eco-Escolas da ESTGV, uma das primeiras instituições de ensino superior portuguesas a quem foi atribuído, pela Associação Bandeira Azul da Europa, promotora internacional da iniciativa, este reconhecimento de boas práticas ambientais.

Na mesma cerimónia, a diretora do Departamento de Ambiente da ESTGV reconheceu que a “biodiversidade é a variedade de vida na Terra. Esta teia de coisas vivas é o coração da natureza, limpando a água que bebemos, polinizando nossas plantações, purificando o ar que respiramos, regulando o clima, mantendo nossos solos férteis, fornecendo-nos medicamentos e fornecendo muitos dos blocos básicos de construção para indústria. No entanto, a natureza está a ser devastada como nunca antes. Esta perda está intimamente ligada à mudança climática e faz parte de uma crise ecológica geral. Os efeitos da perda de biodiversidade já chegaram e vão piorar se a tendência continuar”, alertou Isabel Brás.