Todos os caminhos para uma boa comida vão dar a Viseu em 2019

Fevereiro 6, 2019 | Economia

2017 foi o ano oficial para visitar Viseu. 2018 foi o ano da cidade europeia do folclore. Agora, em 2019, no âmbito da estratégia do marketing territorial que a Autarquia e a Viseu Marca têm vindo a prosseguir, por decisão do Município, todos os caminhos de quem gosta da boa comida virão dar à cidade, declarada como destino nacional de gastronomia. Para atingir este objectivo, serão desenvolvidos programas de formação que valorizem os produtos regionais, a forma de os cozinhar e de os servir à mesa. Tudo com o envolvimento da restauração e de toda a comunidade viseense.

“A cozinha beirã é uma cozinha genuína. Em Viseu come-se bem desde o restaurante mais modesto ao mais elaborado. Os nossos pratos acabam por ser reconhecidos como de grande qualidade”, explica Almeida Henriques, presidente da Câmara de Viseu, que deixa uma palavra especial para “a nova geração de ´chefs´ que está a trazer um apuramento à nossa cozinha”.

A formação será uma componente fundamental de consolidação de Viseu como destino nacional de gastronomia. Além de vários programas em curso no concelho em prol de uma alimentação saudável, e de combate à obesidade, “durante o ano irão decorrer acções formativas para a fileira gastronómica e restauração local. E iremos também realizar acções educativas de gastronomia saudável, voltadas para comunidade escolar e famílias, dentro da nossa lógica de alimentação nas escolas”, acrescenta Almeida Henriques. O programa de formação na restauração, que resulta de um projecto privado, será apresentado brevemente.

O presidente da Câmara de Viseu faz questão de sublinhar a importância da formação gastronómica que tem vindo a ser desenvolvida na Casa da Ribeira, e o trabalho da AHRESP, Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, que tem vindo a certificar restaurantes de Viseu, num trabalho que o seu presidente, e também viseense, Jorge Loureiro irá prosseguir.

O plano de ação «Viseu 2019, Destino Nacional de Gastronomia» contém, para já, 30 realizações. Todas elas focadas em “conferir mais propriedade aos atributos de Viseu enquanto cidade vinhateira e cidade histórica”. Almeida Henriques, presidente da Autarquia, sublinha, no entanto, que a agenda está aberta a iniciativas complementares promovidas por entidades parceiras, assim como à adoção de novas ações consideradas especialmente relevantes ou de carácter demonstrativo. A sua execução será iniciada em 2019, devendo estender-se com algumas das suas ações mais estruturantes ou de animação do destino em 2020 e mesmo 2021. Entre os principais parceiros estão a associação de city marketing Viseu Marca e a Entidade Regional Turismo Centro de Portugal.

A inédita estratégia de promoção do destino turístico Viseu levada a cabo nos últimos cinco anos apresenta resultados inequívocos, com a duplicação do número de dormidas entre 2013 e 2018. E os números, apresentados pela Autarquia, não deixam dúvidas. Segundo projeções do Turismo Centro de Portugal, Viseu deverá alcançar em 2018 as 250 mil dormidas, contra 137 mil dormidas em 2014, indicador histórico no concelho e que reflete um crescimento claramente superior à media nacional a partir de 2917. Também no que diz respeito à taxa líquida de ocupação por cama, em 2014 cifrou-se nos 24%, contra os 30% em 2017.

Igualmente relevantes são os indicadores que apontam para um crescimento do número de proveitos no alojamento turístico, fixando-se em 2017 acima dos 9 milhões de euros (que compara com 6 milhões de euros em 2014). Este indicador traduz não apenas o crescimento absoluto da procura turística (medida em dormidas), mas também um incremento relevante do nível de remuneração do destino (preço por quarto ocupado).

Merece ainda um sublinhado o crescimento do número de turistas estrangeiros em Viseu, sendo em 2017 muito próximo dos 30%, contra os 26% em 2014.

CULTURA, PATRIMÓNIO E EVENTOS

O eixo de atributos que se procura, por esta via, ativar é o de “Wine, Food & Culture”, dando continuidade às apostas temáticas dos últimos anos e mantendo o eixo Cultura, Património e Eventos no seu centro. Os vinhos do Dão e o conjunto das suas atividades situam-se não apenas dentro do perímetro do tema da “gastronomia”, como da própria cultura em sentido amplo.

A estratégia é desenvolvida em 4 eixos de ações: a valorização cultural e económica da gastronomia, vinhos e produtos locais de qualidade; o apoio à qualificação de recursos e capacitação de operadores económicos; a promoção, comunicação e animação turística (experiências); a capacitação do destino e de valorização de públicos. Esta iniciativa é sustentada numa visão estratégica para a construção e reforço do posicionamento da marca Viseu no chamado “mercado interno” (Portugal, Comunidades Lusófonas e Espanha), e para a sua valorização e capacitação, promoção e storytelling, enquanto destino turístico cultural de excelência.