Oito concelhos constituem empresa de saneamento e abastecimento de água

Setembro 29, 2017 | Economia

Com a assinatura do acordo que viabiliza a constituição de uma empresa intermunicipal de abastecimento de água e saneamento em oito concelhos da região de Viseu, está dado o primeiro passo para a construção da barragem da Maeira, no Rio Vouga entre Viseu e Vila Nova da Paiva, e reforço da albufeira de Fagilde para abastecimento de água, no Rio Dão.

O acordo foi assinado pelos presidentes das câmaras de Viseu, Mangualde, Nelas, Penalva do Castelo, Sátão, São Pedro do Sul, Vila Nova de Paiva e Vouzela, que ficarão a co-liderar a Águas de Viseu – Empresa Intermunicipal, num processo que culminará com a apresentação de uma candidatura ao quadro comunitário de apoio. Os oito municípios farão parte da Comissão de Acompanhamento que será coordenada pelo presidente da Câmara de Viseu.

“Este é o resultado de um trabalho sério e consistente que temos vindo a fazer de há dois anos a esta parte e que ganha agora uma abordagem mais abrangente. E é um processo que ganha também maior dimensão, numa altura de grande escassez de água”, explicou o presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, para quem os municípios envolvidos não podiam colocar em risco esta candidatura e, consequentemente, “perderem uma grande oportunidade de financiar um investimento útil para a região”.

O autarca adiantou que “há neste momento uma linha aberta para este tipo de candidaturas” e que, no caso da futura empresa Águas de Viseu – Empresa Intermunicipal, a candidatura a fundos comunitários para a barragem da Maeira e reforço da albufeira de Fagilde será apresentada até ao final do ano. “Trata-se de olhar para o futuro e de não adiar um assunto tão importante para as populações”, concretizou Almeida Henriques.

As obras, que deverão estar no terreno em finais do próximo ano, irão rondar os 60 milhões de euros, e os encargos dos estudos serão de 104.000 euros. Deste montante, Viseu suportará 51 por cento e os restantes municípios 49 por cento. O capital social da futura empresa será calculado em função da quantidade de água de que será beneficiário cada município.

A prioridade do projecto a candidatar vai para o reforço do abastecimento de água, embora haja também a considerar, segundo Almeida Henriques, uma componente na vertente das águas residuais e no lançamento do embrião da barragem do Vouga.

© 2013 Jornal Via Rápida Press. Todos os Direitos Reservados.