Cabrito (também) é produto de excelência em Penalva do Castelo

Março 18, 2020 | Economia

Amantes do garfo e faca acorrerem a Penalva do Castelo, no último fim de semana, atraídos por uma ementa muito especial e cada vez procurada no concelho: o cabrito à moda da terra. A circunstância de a data para a 6.ª edição do Fim de Semana do Cabrito coincidir com o Dia Internacional da Mulher, acabou por resultar numa procura elevada da cerca de uma dezena de restaurantes que aderiu à iniciativa. O evento foi mais uma vez promovido pelo Município, que continua a apostar na promoção dos diversos recursos endógenos do concelho, dos quais o cabrito faz parte.

“Não sei se o facto de celebrarmos o Dia Internacional da Mulher teve influência, mas a verdade é que os nossos restaurantes ficaram cheios, o que nos deixa muito satisfeitos. Por todo o lado só se via gente de fora”, diz a propósito Francisco Carvalho, presidente da Câmara Municipal de Penalva do Castelo, que considera esta uma “motivação suplementar” para continuar a apostar no cabrito, nomeadamente na área da produção.

Francisco Carvalho não tem dúvidas de que a iniciativa “tem vindo a evoluir”, muito por via do passa-palavra. “As pessoas vêm um ano, gostam, e voltam no próximo. E normalmente não vêm sozinhas”, sustenta. O autarca pretende, em próximas edições, tentar conquistar o público local, esse um pouco mais arredado da iniciativa. “No sábado vi muitos forasteiros e quase ninguém da terra. Vamos fazer tudo para os conquistar e fazer com que adiram em maior número a uma iniciativa que também é deles.

A produção de cabrito em Penalva do Castelo beneficia, segundo Francisco Carvalho, das condições “excelentes” propiciadas por um micro-clima característico da região.”Temos planície e temos montanha. Estas condições favorecem a produção de cabrito. Amimais que gostam de altura. Também temos os pastos muito bons que rebentam mais cedo sem geada. O que faz com que a carne seja mais abundante e saborosa”, afirma o autarca.

O presidente da Câmara de Penalva do Castelo sublinha ainda a “solidariedade e cumplicidade” que existe com concelhos limítrofes, nomeadamente Aguiar da Beira e Fornos de Algodres, no que à produção de cabrito respeita, o que o leva a considerar que, unidos, poderão ir muito mais longe. “Temos o leitão da Bairrada. Porque não o cabrito aqui do interior?”, desafia Francisco Carvalho. Que tem em preparação no Município um Regulamento para a actividade.

Qual cereja em cima do bolo, o autarca destaca a “elevada qualidade” das cozinheiras da terra, “cujo trabalho acaba por tornar ainda mais notável a qualidade do cabrito que chega às mesa dos restaurantes”.

Participaram no evento os restaurantes: O Templo, Familiar, O Carneiro, Pizzaria da Lameira, Snack-Bar 259, Parador Casa da Ínsua, O Telheiro e Casa de Petiscos Recordo. Além do cabrito os estabelecimentos de restauração aderentes, exceto o Familiar, disponibilizaram uma prova de Queijo Serra da Estrela, numa iniciativa intitulada “Sabores de Penalva” que resulta como complemento do certame “Feira/Festa do Pastor e do Queijo” realizada anualmente em fevereiro. Esta uma oferta do Município de Penalva do Castelo que tem como objectivo principal a promoção dos produtos endógenos do concelho.

Os participantes no Fim-de-semana do Cabrito habilitaram-se ao sorteio de um Almoço ou Jantar para duas pessoas num dos restaurantes aderentes.

A Autarquia penalvense teve como parceiros do evento, os estabelecimentos de restauração e bebidas aderentes do concelho e o Turismo Centro de Portugal.