Adega Cooperativa de Mangualde apresentou sete novos vinhos

Maio 6, 2012 | Economia

Depois de ter duplicado as exportações em 2011, com uma forte aposta no mercado asiático, sobretudo na China, e de continuar a privilegiar também os mercados francês e espanhol, este uma surpresa a absorver “uma parte significativa das exportações”, a Adega Cooperativa de Mangualde apresentou a semana passada, num jantar vínico realizado no Solar do Vinho do Dão, mais sete novos vinhos. Uma iniciativa que vem confirmar, em tempo de crise, o dinamismo da direcção da Cooperativa.

Antes da entrada para a sala de jantar os convidados foram surpreendidos com um vinho licoroso branco da marca Encruzadito, de enorme complexidade e boa apresentação.

A primeira “estrela” a ser apresentada foi o «Castelo de Azurara» branco 2011 seguido do Adega de Mangualde 2010. Dois vinhos de qualidade superior mas com perfil distinto. Enquanto a marca Castelo de Azurara procura vinhos com carácter, elegância e de grande equilíbrio, a Adega de Mangualde foi criada para acolher vinhos gastronómicos com uma estrutura firme, capaz de acompanhar qualquer repasto, e com capacidade de envelhecimento. “O branco desta marca só é engarrafado com um ano, incorporando aquilo a que estamos habituados nos brancos – a juventude”, explica António Mendes, presidente da direcção da ACM. Da mesma marca foi ainda apresentado um vinho rosado com 14% e com uma invulgar estrutura.

Com os pratos de carne foram apresentados os vinhos Adega de Mangualde tinto 2010 e o Castelo de Azurara reserva 2010. Dois vinhos que se mantêm fiéis aos objectivos da marca, ou seja, o primeiro um vinho de grande estrutura, e o segundo um vinho de grande carácter e elegância.

As apresentações prosseguiram com o Tôriguito, um outro licoroso excelente para acompanhar as sobremesas. Foi um despertar de sentidos quando os presentes colocaram este vinho na boca, não estando à espera que na nesta região se produzisse um licoroso com esta qualidade.

Num jantar que reuniu mais de centena e meia de pessoas, a Adega Cooperativa de Mangualde brindou ainda os presentes com momentos musicais de excelência, protagonizados pelo Grupo Musicando e Coral Lopes Morago, que condimentaram uma noite cultural subordinada ao tema “Vinum et musica laetificant cor” (Vinho e música alegram o coração).

A cerimónia oficial de abertura contou com discursos curtos mas incisivos do presidente da Direcção da Adega Cooperativa de Mangualde, António Mendes, do presidente da Câmara Municipal de Mangualde, João Azevedo, e do presidente da Comissão Vitivinícola Regional do Dão, Arlindo Cunha.

© 2019 Jornal Via Rápida Press. Todos os Direitos Reservados.