3,2 milhões para nova linha de transformação de papel na antiga Pextrafil

Julho 3, 2015 | Economia

A Pampilar – Papéis de Portugal Lda.,uma empresa sedeada em Serzedo (Pampilar Folder), concelho de Vila Nova de Gaia, que produz e comercializa produtos de papel para consumo doméstico e profissional – papel higiénico, papel de cozinha, guardanapos, lenços de papel e faciais – vai investir 3,2 milhões de euros em Viseu, através da instalação de uma nova linha de transformação de papel, “inovadora e de elevada capacidade”, na antiga Pextrafil em Povolide, que nos últimos anos se vinha dedicando à produção de produtos de papel de higiene.

No acto público de assinatura do memorando de entendimento para o investimento industrial da PAMPILAR em Viseu, assinado com a Câmara Municipal no Salão Nobre da Autarquia, o presidente do Conselho de Administração, Paulo Marques, adiantou que a nova linha de vai ampliar a capacidade de transformação da empresa na produção de rolos de cozinha e papel, um investimento que triplicará a capacidade de produção e que ficará concretizado até ao início do mês de Agosto. O objectivo é chegar a novos mercados externos, nomeadamente no norte da Europa.

“Na sequência da estratégia de crescimento da Pampilar, concluímos que havia em Povolide uma unidade com pessoas e ‘know-how’ que reuniam as condições necessárias para este projeto de expansão do grupo e de termos a nossa própria papeleira. A aquisição da Pextrafil, em Dezembro de 2014, para além do seu valor de aquisição, implicou um investimento imediato na sua recuperação e modernização, que está em curso, de cerca de um milhão de euros, com vista a uma maior eficiência e aumento da capacidade produtiva”, explicou Paulo Marques.

Com esta operação, o empresário espera colocar Viseu no mapa como “um distrito produtor de papel”, propondo mesmo que a antiga fábrica da Pextrafil passe a denominar-se “Papeleira S. Mateus”, em honra do padroeiro da capital do distrito.

Na mesma cerimónia, o presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, confirmou que a Autarquia já iniciou as obras de beneficiação das acessibilidades na envolvente da unidade industrial de Povolide, num investimento de 70 mil euros. “Serão beneficiados 755 metros da Estrada Nacional 16 – Vila Meã / Povolide –, para acesso de veículos pesados ao topo norte da unidade da Pampilar”, especificou.

 

GRUPO TCS INSTALA-SE EM MUNDÃO

O grupo empresarial TCS espera gerar, numa primeira fase, 50 postos de trabalho, alguns deles através do recrutamento de quadros superiores formados nas academias de Viseu, na nova unidade que irá instalar em dois lotes infraestruturados no Parque Industrial de Mundão. Radicada em Espanha e no Brasil, a TCS explora tecnologias e produtos inovadores de construção civil, através de novos materiais e soluções de montagem, que vende e aplica em vários mercados de África e da América do Sul.

De acordo com o memorando de entendimento assinado com a Câmara Municipal de Viseu, o investimento de 15 milhões de euros terá, como contrapartida, o acesso da TCS ao programa “VISEU INVESTE”, cujo regime de incentivos directos ao investimento permite a recuperação do valor de impostos municipais cobrados em função do volume de investimento, postos de trabalho gerados e tempo de realização do investimento.

Para o Presidente da Câmara, Almeida Henriques, “este investimento industrial é uma boa notícia para Viseu, para a economia e o emprego. Confirma a atractividade da cidade-região e dos seus recursos humanos para investimentos externos”.

O presidente do grupo, João Araújo, explicou que a tecnologia TCS Construction System permite construir rapidamente casas, escolas e espaços comerciais, com vantagens ao nível do isolamento térmico e acústico.