«Viseu Cultura» deu rodízios novos ao moinho da Tia Micas Moleira

Junho 30, 2020 | Cultura

“O homem sonha… a obra nasce». Essa foi, segundo Ricardo Cunha, amigo do proprietário do antigo moinho da Tia Micas Moleira, em Vildemloinhos, a máxima que transformou em realidade o projeto, intitulado “Um Moinho em Terra de Moinhos”, dinamizado por Firmino Toipa, com o selo do programa municipal VISEU CULTURA 2020/2021, no âmbito da linha “Revitalizar”, sendo financiado por este em 9 mil euros.

Localizado junto ao Rio Pavia, no coração de Vildemoinhos, o Moinho da Tia Micas Moleira constitui o legado de três gerações da família de Firmino Toipa que, em 1998, decidiu recuperar e reabrir este ecomuseu de tradição e lavoura à comunidade, homenageando todos os moleiros e padeiras da sua terra, que durante anos – e até aos dias de hoje -, mantêm vivo um dos ícones gastronómicos de Viseu: a Broa Trambela.

Com o passar dos anos, os rodízios de madeira – a força motriz que dá “vida” ao moinho e faz trabalhar a mó – sofreram um desgaste significativo, sendo agora substituídos por dois novos, que permitirão dar continuidade a este projeto de valorização da cultura popular e tradicional de Vildemoinhos.

O projeto “Um Moinho em Terra de Moinhos”, para além da sua componente mais técnica, assente na requalificação destas peças indispensáveis ao funcionamento do moinho, pretende também consolidar a sua vertente pedagógica, didática e artística, reforçando os laços de cooperação com a Quinta da Cruz – Centro de Arte Contemporânea, com as Escolas, as Associações, mas também com os viseenses, visitantes e turistas, proporcionando uma experiência ainda mais completa e imersiva ao espaço, que guarda importantes artefactos desta arte trambela.

O objetivo passa por valorizar os objetos, as histórias, os ciclos e técnicas associados ao moinho e à confeção da broa, apostando em novas formas de comunicação, interação e partilha com a comunidade, quer através de visitas regulares como ações educativas ou outras iniciativas em dias temáticos.

Com a entrada simbólica dos novos rodízios no antigo moinho da Tia Micas Moleira, concretizou-se “um acto de amor por uma história”. Jorge Sobrado, vereador da Cultura da Câmara Municipal de Viseu acrescenta que o acto materializa também “uma grande vontade de não abrirmos mão da nossa memória”. Neste caso, de um moinho que assumiu como “o grande emblema de uma tradição de moleiros, marcante na identidade das gentes trambelas”

Integram também a equipa técnica e artística deste projeto o marceneiro José Machado e a designer viseense Raquel Balsa.