Museus Municipais de Viseu reabrem com cerca de 300 visitantes numa semana

Maio 27, 2020 | Cultura

Depois de um encerramento forçado, em virtude da pandemia do COVID-19, os Museus Municipais de Viseu reabriram as portas das suas “casas” a viseenses e visitantes, na passada semana, marcada por uma programação intensa de lançamentos, apresentações e iniciativas digitais, oficinas, visitas guiadas e roteiros, integrada nas comemorações do “Dia Internacional dos Museus”.

Nesta reabertura, de 18 a 24 de maio, os sete núcleos museológicos municipais de Viseu registaram uma adesão muito positiva de público. Presencialmente, em exposições, oficinas, roteiros e visitas guiadas, foram 277 os visitantes que aceitaram as experiências propostas, retomando a participação nesta programação cultural.

Dessas quase três centenas de visitantes, a Quinta da Cruz – Centro de Arte Contemporânea é responsável por mais de metade. 174 visitantes foram conquistados pela nova exposição de Pedro Cabrita Reis na casa principal da Quinta, da escultura de luz “I dreamt your house was a line”.

A adesão não se ficou por aqui. Nos sites e redes sociais dos museus municipais foram realizadas várias atividades e conteúdos, que conquistaram também seguidores. Nestes eventos, contaram-se 504 “visitantes digitais”. Das atividades difundidas “ao vivo”, em streaming, o Museu Almeida Moreira conquistou o primeiro lugar, através da apresentação do catálogo da exposição “Beira Ilustre”, de Rosário Pinheiro, com 115 participantes.

“Foi um regresso feliz e bem-sucedido”, resumiu o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, António Almeida Henriques. “Superou mesmo as expectativas iniciais, prova que a população se sente segura nestas casas e reconheceu o esforço que realizámos na proteção dos visitantes”, rematou.

A semana assinalou ainda o primeiro ano de vida  do polo virtual do Museu de História da Cidade de Viseu, disponível em www.mhcviseu.pt e na app Viseu 5.0.

“Ao cabo dos primeiros 12 meses, este polo – um dos mais evoluídos e completos dos museus municipais digitais do país, em termos tecnológicos e de conteúdos – registou mais de 8500 visitas”, avançou o Vereador da Cultura, Jorge Sobrado. “No período da pandemia, o número de visitas médio mais que duplicou”, destacou.

Entre estes novos lançamentos, destaque para projetos muito simbólicos na (re)descoberta da história e identidade da cidade.

Exemplo maior é a constituição da Imagoteca do Museu de História da Cidade, um novo centro de recursos dedicado à recolha, arquivo, preservação, digitalização, estudo e divulgação de documentos de imagem representativos da história da Cidade e do Concelho, especialmente de fotografias, mas também postais ilustrados, cartazes e filmes, datados até ao final do século XX. Está já disponível em www.mhcviseu.pt/imagoteca.php.