Festival de cinema Vistacurta privilegia produção associada à região de Viseu

Outubro 26, 2018 | Cultura

Das presenças de realizadores com grande reconhecimento internacional, como José Luis Guerín e João Canijo, às secções competitivas, passando pelos concertos, aulas de cinema, exposições e uma programação especialmente dedicada ao público escolar, fazem do Festival de Cinema «Vistacurta», que se realiza em Viseu de 27 de outubro a 3 de novembro, um dos eventos cinematográficos mais marcantes da região e do país.

Promovido pelo Cine Clube, com um apoio financeiro de 25 mil euros no âmbito do programa Viseu Cultura da Câmara Municipal de Viseu, o «Vistacurta»  2018, “tem como foco central, o cinema associado a esta região e a toda a produção de cinema que interpela a interioridade”, salienta Rodrigo Francisco, da direcção do CCV. Embora o responsável destaque também a presença de realizadores “com um papel importante no panorama cinematográfico nacional e Internacional”.

Rodrigo Francisco dá como exemplos as presenças do realizador espanhol José Luis Guerin, com «A Academia das Musas», e do português João Canijo, com «Diário das Beiras», nas sessões de abertura e de encerramento do Festival. “Com estas sessões, reavivamos a sensação reconfortante de uma profunda liberdade e diversidade de olhares de criadores tão emblemáticos como Guerín e Canijo”, reconhece Nuno Francisco.

Entre os vários dias de programa, as sessões, que mobilizam vários espaços da cidade, contam com mais de duas dezenas de curtas-metragens portuguesas, distribuídas em duas secções competitivas. Que terão prémios de três mil euros para os filmes vencedores, sublinhando assim o compromisso do Cine Clube de Viseu para com a divulgação e promoção da produção nacional.

“Novidade absoluta” na edição de 2018 do «Vistacurta», é a aposta numa acção pedagógica que irá decorrer nas escolas. Rodrigo Francisco considera que os alunos são “um público importantíssimo” a atrair para a sétima arte, neste caso com a abordagem, em filmes, de temas importantes como a igualdade do género, ambiente, e integração social.

Inseridas no Festival estão também a exposição «A idade de ouro do cartaz de cinema polaco», patente no Museu Almeida Moreira, e as obras no IPDJ do ceramista Sérgio Amaral, que viu destruída a sua oficina nos incêndios de Outubro de 2017.

Jorge Sobrado, vereador da Cultura na Câmara Municipal de Viseu, não tem dúvidas que o Festival «Vistacurta» assume-se hoje como um importante veículo de promoção do cinema de Viseu no Mundo, e considera que o Cine Clube, “com uma oferta regular, cativante e diversificada”, desempenha “um papel estruturante na oferta cultural do concelho de Viseu”.

 

© 2013 Jornal Via Rápida Press. Todos os Direitos Reservados.