Casa-Museu Almeida Moreira reabriu ao público em Viseu

Dezembro 28, 2012 | Cultura

Depois das obras de remodelação iniciadas em Novembro de 2010, acaba de reabrir ao público a Casa-Museu Almeida Moreira, localizado junto ao Jardim das Mães. Um legado do Capitão à cidade de Viseu, em 1939, que incluiu a sua valiosa colecção artística (pintura, escultura, cerâmica, mobiliário, entre outras tipologias) e o importante acerco documental (livros, revistas, correspondência particular, fotografias e outros documentos), com a condição da Câmara Municipal a transformar aquele espaço em «Casa-Museu-Biblioteca».

“Está cumprida a vontade do Capitão e, ao mesmo tempo, mais enriquecida também a Rede Municipal de Museus”, congratulou-se a vereadora da Cultura, Ana Paula Santana, na cerimónia de reabertura da Casa-Museu Almeida Moreira. A remodelação do espaço, assumida pela Câmara Municipal de Viseu e Sociedade de Reabilitação Urbana «Viseu Novo», ascendeu a 270 mil euros, a que acresce mais um investimento de 180 mil para os conteúdos.

Figura impar na sociedade viseense e portuguesa do século XIX, Francisco Almeida Moreira foi professor, artista, coleccionador, museólogo, conferencista, colaborador da imprensa, autarca, promotor de turismo, autor e bibliógrafo, um ecletismo bem documentado na exposição temporária «Faces da Vidacidade», na qual emergem as diversas facetas da vida do Capitão, intrinsecamente ligadas a Viseu e à dinamização cultural. “Através dela é possível perceber a paixão que teve pela cidade e a quantidade e qualidade da intervenção cívica que desenvolveu”, sublinhou Henrique Almeida, comissário da exposição.

A Francisco Almeida Moreira, que desempenhou as funções de vereador do pelouro do urbanismo e estética na Câmara Municipal, fica a dever-se também a instalação, em 1931, do painel de azulejos do Rossio, um trabalho desenhado por Joaquim Lopes, que se assume hoje como uma das mais emblemáticas e identificativas imagens da cidade de Viseu.

Para Fernando Ruas, presidente da Câmara Municipal de Viseu, a remodelação agora concluída na Casa-Museu pretende não só preservar o que Almeida Moreira deixou em testamento, mas também, e sobretudo, exaltar a figura marcante que representou na sua época, quer no concelho quer no país. Em fase terminal do seu último mandato à frente do executivo, Ruas congratulou-se pelo facto de estar agora a inaugurar obras com “uma importante componente imaterial”, concluindo que a reabertura do espaço, que classificou como “mais uma pérola cultural em Viseu”, representou “um momento histórico” na sua vida de autarca.

A exposição permanente patente no piso superior, esta comissariada por Graça Abreu, apresenta um conjunto de obras seleccionadas da sua colecção particular, com destaque para a colecção de pintura com obras do século XIX e início do século XX, onde o naturalismo está assinalado com quase todos os grandes pintores dessa época. A colecção de faianças exibe peças das melhores fábricas portuguesas.

A Casa-Museu Almeida Moreira estará aberta de terça-feira a domingo, entre as 10.00 e as 12.00 e as 14.00 e 17.00 horas.