Atrasos no QREN cancelam projecto no Teatro Viriato

Abril 7, 2012 | Cultura

Depois de nos primeiros meses do ano ter registado a maior participação e afluência de público nas suas actividades, registando quase uma média de 90 por cento de ocupação, o Teatro Viriato vai continuar a privilegiar e a envolver a cidade de Viseu, na sua programação para o próximo trimestre, com projectos de “impacto” que apelam a um trabalho comunitário de participação e construção de obras. “É, sem dúvida, o período do ano em que os nossos públicos passam a ser também os nossos artistas”, concretiza o director artístico, Paulo Ribeiro.

A temporada da Primavera do Teatro Viriato arranca com «Tesouros Animados – Atelier de Dança para Curiosos (2 a 5 de Abril), uma proposta virada para o exterior a desenvolver em parceria com o Museu Grão Vasco, e termina, precisamente, com uma criação colectiva (Raiz de Memória) que envolve toda a comunidade. Desenvolvido por Rafaela Santos, Fernando Giestas e Ana Bento, este projecto é o resultado de um trabalho de seis meses no Lar de Idosos e do Centro de Dia da Associação de Solidariedade Social da Freguesia de Abraveses, onde os utentes participaram em sessões de expressões escrita, musical e dramática

Após seis anos de participação no «PANOS – Palcos Novos, Palavras Novas», o TV inaugura agora o projecto de Teatro Jovem (em Progresso) «K Cena», com a estreia do primeiro espectáculo, «Ortsnom/Monstro – o Espelho de Frankenstein», que junta nove jovens e o encenador Graeme Pulleyn, marcada já para este mês de Abril (12 a 14). Paulo Ribeiro considera que este será o “primeiro passo para a sedimentação do esboço do projecto de um grupo de teatro jovem”.

«Woycec», do Teatro da Academia (a celebrar 20 anos de existência), dirigido pelo viseense Jorge Fraga, é outra estreia marcada para 10 e 11 de Maio. Já no âmbito de uma parceria com o Concurso e Festival Internacional de Guitarra de Sernancelhe, o palco do Viriato acolhe, a 21 de Junho, o guitarrista ucraniano Marko Topchii, vencedor da última edição.

Bruno Nogueira e Miguel Guilherme, Companhia do Chapitô, Teatro do Vestido, mala voadora e Truta, no teatro e na música, e Rita Braga, Rodrigo Amado Motion Trio e Jeb Bishop em estreia mundial, António Eustáquio e Carlos Barreto, no café concerto/foyer, são outros nomes que marcarão presença no espaço cultural viseense.

“Parece-me que temos reunidas as condições para continuar a festa que fez dos primeiros meses deste ano os melhores de sempre na vida do Teatro Viriato”, conclui Paulo Ribeiro, que revelou ainda uma novidade: “a partir de agora é possível, através do site www.teatroviriato.com, comprar os bilhetes para os espectáculos.

 

ATRASOS DO QREN CANCELAM PROJECTO «VISEU A…”

Os atrasos verificados na assinatura de um contrato de financiamento no âmbito do QREN, já obrigaram o Teatro Viriato a cancelar o evento «Viseu a..», que deveria decorrer no mês de Maio. “Apesar de já termos toda a programação fechada e os compromissos assumidos, fomos forçados a cancelar este evento, força de constrangimentos relacionados, mais uma vez com uma candidatura a fundos comunitários”, lamenta, em comunicado, a direcção.

O projecto «Viseu a..» integra uma candidatura apresentada pela Comunidade Intermunicipal da Região Dão Lafões, intitulada «Redes Urbanas para a Competividade e Inovação (RUCI), um projecto-âncora inserido no âmbito do eixo «Marketing territorial e afirmação externa». Ao todo, o Teatro Viriato, reclama uma verba de 300 mil euros, para dois anos.

Outro “constrangimento” com que a direcção do TV continua a debater-se (em atraso, desde 2009, estão 200 mil euros de verbas do QREN) tem a ver com a Rede «Cinco Sentidos», que integra ainda os teatros municipais Maria Matos, Guarda, Torres Novas e Centro Cultural Vila Flor. “É quase o equivalente a um ano de programação”, concretiza Paulo Ribeiro, que não exclui a possibilidade da qualidade da programação de Setembro a Dezembro vir a ser afectada, “se até lá não recebermos aquele dinheiro”.

© 2019 Jornal Via Rápida Press. Todos os Direitos Reservados.