Ecopista do Vouga custa 3,4 milhões e já tem luz verde para avançar

Maio 9, 2018 | Actualidade

A requalificação da antiga linha ferroviária do Vale do Vouga, transformando-a numa Ecopista com uma extensão global de 58,6 quilómetros, já tem «luz verde» para avançar. Inserida num pacote de quatro projectos dedicados ao desenvolvimento de percursos pedestres e cicláveis na região Centro, a futura ecopista do Vouga, que atravessará os concelhos de Viseu, S. Pedro do Sul, Vouzela e Oliveira de Frades, absorve a maior fatia (3,371 milhões) do montante global de 4,2 milhões de euros contratualizados para os quatro projectos.

“Depois da fantástica experiência que tivemos com a ecopista do Dão, sempre ambicionámos a sua ligação física, em Viseu, à antiga linha do Vale do Vouga”, fez questão de sublinhar o secretário executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho, no final da cerimónia, em Santa Comba Dão, dos contratos de financiamento assinados na presença do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.

Financiados no âmbito do projeto «Portuguese Trails», os projectos agora contratualizados através da Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior de Portugal «Valorizar» vão acrescentar mais 200 quilómetros de percursos e vias cicláveis na região centro do país.

Para além da ecopista do Vale do Vouga, foram ainda assinados os contratos de financiamento para a criação da Ciclovia do Mondego; Ecovia EuroVelo1 – Rota da Costa Atlântica com uma extensão de 39,9 quilómetros, que pretende efetuar a ligação da Ecopista do Dão à Ciclovia EuroVelo1, no concelho da Figueira da Foz, permitindo a criação, no futuro, de um traçado em circuito fechado que liga Figueira da Foz, Viseu e Aveiro. E ainda a criação da Ecovia EuroVelo1 – Rota da Costa Atlântica, com uma extensão de 79 quilómetros, que integra o Programa EuroVelo – European Cycle Route Network, rede de 15 rotas europeias de longa distância.

Por último, foi assinado o apoio à inGAMBA, um projeto que pretende reforçar a oferta de Cycling Holidays – Trips em Portugal, direcionada para um segmento de luxo, que criará condições para internacionalizar a operação através de Portugal. O projeto integra 4 trilhos: Trilho Vila Pouca de Aguiar-Terreiro (Vila Pouca de Aguiar, Norte), Trilho Tortosendo-Armamar (Covilhã, Centro), Trilho Sertã-Cercal (Santiago do Cacém, Alentejo) e Trilho Cercal-Monchique- Aljustrel (Monchique, Algarve), que está a ser desenvolvido pelo Turismo de Portugal, em parceria com as sete regiões turísticas do país e com as comunidades intermunicipais, associações e empresas turísticas, numa atuação concertada entre entidades públicas e privadas.

 

© 2013 Jornal Via Rápida Press. Todos os Direitos Reservados.