Centro de Ambulatório e Radioterapia em Viseu com candidatura aprovada

Junho 17, 2022 | Actualidade

Depois de muitas promessas, avanços e recuos, que alimentaram também muitas e controversas políticas enquanto, durante anos e anos, os doentes oncológicos de Viseu faziam penosas viagens para tratamentos em Coimbra, está (finalmente) aprovada a candidatura para a construção do Centro de Ambulatório e Radioterapia do Centro Hospitalar Tondela-Viseu (CHTV). O investimento total, aprovado no âmbito dos fundos comunitários do Portugal 2020, é de 26 milhões de euros.

A aprovação da candidatura para instalar no CHTV o Centro de Radioterapia, foi anunciada no final de uma reunião do executivo, pelo presidente da Câmara Municipal de Viseu, Fernando Ruas. O autarca só tem agora dúvidas em relação aos prazos para o arranque e conclusão do equipamento, não acreditando que a unidade esteja pronta em Dezembro de 2023. Até porque, há ainda vários passos a dar, nomeadamente “o lançamento do concurso público”, justificou.

Mesmo faltando “descobrir” como e onde o CHTV vai aceder à comparticipação nacional dos fundos comunitários, Fernando Ruas não deixa de concluir que “a única coisa positiva, é que não havia financiamento sem esta candidatura”.

No final de Junho do ano passado, e em declarações à Agência Lusa, o presidente do Conselho de Administração do CHTV, Nuno Duarte, adiantou que “tudo correndo bem”, o Centro de Ambulatório e Radioterapia estaria pronto no final de 2023. Sublinhou, então o responsável, que a estimativa apontava para o início das obras até ao final do primeiro trimestre de 2022, uma vez que a construção “vai sempre demorar cerca de um ano e meio”. O que não aconteceu no primeiro, e o final do segundo trimestre está aí a chegar.

Reformulado que foi o projecto inicial, o novo, já com a candidatura aprovada inclui, para além da área oncológica, uma outra dedicada aos hospitais de dia de especialidades médicas e também uma ampliação das consultas externas, “uma vez que a ligação entre os edifícios vai ter de ser feita através de uma ponte e, no local onde desemboca, no edifício principal, vamos fazer uma ampliação da Consulta Externa”, afirmou à Lusa Nuno Duarte.

Já com acordos de colaboração firmados com o Instituto Português de Oncologia de Coimbra e Agrupamento de Centros de Saúde Dão-Lafões, o CHTV realça que a construção do Centro de Ambulatório e Radioterapia vai “assegurar a diferenciação do hospital e, ao mesmo tempo, melhorar a prestação de serviços, indo ao encontro das expectativas das populações da região interior centro do país”.

Numa de «ver para crer», Fernando Ruas só espera “que a obra comece”. E já fez saber que, até agora, “a única entidade que contribuiu, foi a Câmara de Viseu”. Através, justificou, de “isenção em 90% das taxas ao CHTV, que é um valor com algum significado”. E, para além da Câmara, “ainda mais ninguém se atravessou em termos financeiros”, concluiu.